quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Apenas a pele



(fotografia de edward weston, "back of nude", 1927)

As tuas palavras fazem-me desaparecer
Um sopro único dos teus seios
Amo-te muito, muito como esta areia solta
No estar atento à materialidade do quotidiano

Trago o sol de Março nestas mãos e ofereço-te
A praia e o mar – o mergulho das letras na palavra

Mais nada apenas a pele

José Gil

1 comentário:

Fa menor disse...

E eu gosto do sol de Março.
E gostei deste espaço.
:)

Bjos