sábado, 19 de março de 2016

casa, casa, casa

(flores eróticas e cactos e figos  do Chile)
 
(a minha esposa linda e quase chilena como Pablo Neruda, poeta do amor, Solange)
 
 “Não estejas longe de mim um dia que seja, porque,
porque, não sei dizê-lo, é longo o dia”

 
Pablo Neruda



vejo chegar a fruta exótica do outono, como muito melão contigo no colo
é a época do melão verde de casca dura e fina ou o  amarelo de casca mais suave
como-o fresco e espero o lugar em que se lê um livro a sesta, um dos grandes
romances do Chile. E que poetas frutificam em Santiago? Procuro nomes
gostaria de estar já com alguns livros recolhidos, estamos tão longe e tão perto
 
amo-te na poesia da humanidade em Damaia poemas de areia e mar, os poemas
da casa da tarde e da noite como aguarelas e esta noite a festa das luzes na rua
no largo onde moro na madrugada, trazem-me figos de cacto madurinhos para varrer
os picos e comer de mão, beijo-te com flores eróticas palavras passadas sempre
 
José Gil

1 comentário:

Pedra do Sertão disse...

Paulo Neruda, Chile e - outono temas que combinam com o amor!

Bela imagem

Abraços do Pedra

www.peddradosertao.blogspot.com.br